Diretor dá detalhes sobre Batgirl e aponta atuação digna de Oscar

Batgirl

Pode até ser que ninguém pediu o filme solo da Batgirl com Leslie Grace, mas seu cancelamento em fase de pós-produção gerou uma grande revolta nas redes sociais. Recapitulando para quem não acompanhou a novela, as gravações do filme de Adil El Arbi e Bilall Fallah estavam praticamente concluídas quando a Warner Bros. terminou sua fusão com a Discovery. Tempos depois, David Zaslav assumiu como CEO do estúdio e iniciou uma onda de cortes e cancelamentos. Quando a tesoura chegou à extinta DC Films, o longa da Garota Morcego não agradou nada a nova gestão e simplesmente saiu dos planos.

Ainda assim, os diretores seguem com esperanças pelo lançamento do projeto e frequentemente revelam detalhes sobre ele. Em uma entrevista recente ao Yahoo Entertainment, Adil El Arbi relembrou o cancelamento como um dos maiores traumas de sua carreira:

“Eu penso sobre Batgirl todos os dias. Eu repasso a produção do filme na minha cabeça, pensando: ‘Será que eu devia ter feito de forma diferente?’ Mas como nós dizemos, esse era o plano de Deus. Só podemos esperar retornar à DC algum dia.”

Ele ainda comparou a produção aos filmes do Batman de Christopher Nolan e Tim Burton, destacando o realismo de Gotham City. Segundo ele, o projeto contava com pouco CGI, pois tanto ele quanto Bilall Fallah preferem efeitos práticos:

“Era realmente uma mistura entre [Christopher] Nolan e [Tim] Burton. Gotham City era um mundo mais realista, e a história era bem direta e emocional. Era mais um filme de atores do que um cheio de efeitos visuais. Nós realmente não gostamos de CGI, então usamos muitas miniaturas. Havia essa ótima sequência de ação onde um caminhão batia em um túnel, e fizemos isso com miniaturas, assim como Burton fez no primeiro filme do Batman. É uma das coisas mais legais que já fizemos no cinema – foi como fazer cinema à moda antiga, e faríamos tudo de novo.”

Por fim, Adil afirmou que o filme seria um sucesso no HBO Max, pois tinha um orçamento baixo e muito apelo com o público. Ele também destacou a atuação de Brendan Fraser como o vilão Vagalume, apontando-a como digna de um Oscar:

“Tivemos que manter o orçamento baixo, então era uma história muito contida. Mas o fato de que o orçamento não era alto já teria ajudado a tornar um sucesso. As pessoas amam a Batfamília. Elas amam a Batgirl, amam Gotham City, amam Michael Keaton e Brendan Fraser deu uma atuação digna de Oscar no filme. [O filme] devia ir para o streaming, o que te dá uma liberdade que você não tem no cinema. Se fosse um filme feito para o cinema, nós precisaríamos de sequências de ação maiores do que as que tínhamos. Mas nós nunca saberemos!”

Mais sobre Batgirl

O filme da Batgirl estrearia exclusivamente no HBO Max como uma nova estratégia de Walter Hamada para o antigo DCEU. Na mesma leva de produções da época estava o também cancelado projeto dos Super Gêmeos e o filme solo do Besouro Azul, que sobreviveu aos cortes de Zaslav. Com Xolo Maridueña e Bruna Marquezine, o filme do Besouro Azul apenas deixou de ser exclusividade do streaming e ganhou uma estreia nos cinemas recentemente.

Quanto a trama de Batgirl, ela seria essencial para os planos de Hamada para o DCEU. Nela, Barbara Gordon seria a pupila do Batman de Michael Keaton, que por sua vez seria introduzido como canônico em The Flash. Nessa realidade pós Flashpoint, a Garota Morcego assumiria um papel de destaque no Universo DC, com o Batman servindo apenas como um mentor próximo. Rumores indicam que o mesmo aconteceria com a Supergirl de Sasha Calle, que substituiria o Superman como maior defesa da Terra.

Deixe uma resposta

%d