Publicidade - OTZAds

O Crítico| Todos os filmes do Universo Estendido DC, do pior ao melhor

Anúncios

POR ADAILTON MORAES

O Universo Estendido da DC passou por muitos altos e baixos desde seu lançamento em 2013 e desde então sofreu com diversos cortes e mudanças de tons estabelecidos pela Warner Bros., o que resultou em algumas controvérsias e furos de roteiro gritantes. Mas atualmente o estúdio parece ter encontrado um equilíbrio entre a ideia de universo compartilhado e a liberdade individual de cada de diretor e projeto, ainda que isso custe o esquecimento de alguns filmes e até mesmo de atores que inicialmente seriam protagonistas do DCEU. Nos próximos anos, a DC Films trará diversos lançamentos para os cinemas e também para o HBO Max, serviço de streaming da Warner Media, incluindo os filmes solo da Batgirl, Adão Negro e Besouro Azul e as séries da Tropa dos Lanternas Verdes e do Pacificador. Preparando o terreno para o futuro próximo, listamos a seguir todos os filmes do Universo Estendido da DC, do pior ao melhor (segundo nossa opinião, é claro). Confira:

Publicidade - OTZAds

10º LUGAR: LIGA DA JUSTIÇA (2017)

Chega a ser deprimente listar Liga da Justiça no último lugar do ranking, uma vez que a equipe é mais importante da DC e deveria refletir essa imponência nos cinemas. Mas como todos nós sabemos, o filme lançado em 2017 nos cinemas decepcionou em muitos aspectos, trazendo um enredo acelerado e mal trabalhado, além de cenas vergonhosas como as que mostram a tentativa de esconder o bigode de Henry Cavill e as do Batman tentando ser fofo. O filme é resultado de diversas regravações realizadas após o afastamento de Zack Snyder da direção e sua substituição por Joss Whedon e passou por tantos problemas nos bastidores que acabou sendo o fracasso que foi. Ainda assim, o longa entrega algumas poucas cenas interessantes.

Avaliação: 3.5 de 10.

9º LUGAR: ESQUADRÃO SUICIDA (2016)

O filme dirigido por David Ayer é outro que foi vítima da mudança de planos súbita dos executivos da Warner Bros. após o rompimento com as ideias de Zack Snyder para o DCEU. Inicialmente, a ideia era preparar o terreno para a invasão de Darkseid no “Liga da Justiça” original e trazer a equipe de vilões comandada por Amanda Waller enfrentando a vilã Magia, que teria uma ligação direta com o Lobo da Estepe e com as Caixas Maternas de Apokolips. Com as mudanças, a versão dos cinemas apresentou uma trama muito rasa e forçou uma fraternidade desnecessária entre os membros do Esquadrão Suicida. Mas não seria justo colocar todo o fracasso do filme na conta da Warner Bros., o filme tem problemas criados pelo próprio diretor, a exemplo dos visuais de alguns personagens, como o Coringa de Jared Leto. Por outro lado, o filme serviu para popularizar ainda mais a Arlequina, interpretada por Margot Robbie, e trouxe a incrível atuação de Viola Davis como Amanda Waller.

Publicidade - OTZAds
Anúncios

Avaliação: 5 de 10.

8º LUGAR: MULHER MARAVILHA 1984 (2020)

Esse é um filme que sofre mais hate do que de fato merece, ainda que não seja tudo o que poderia ser. Após o sucesso do primeiro filme da Mulher Maravilha, os fãs aguardavam uma sequência ainda mais épica para a jornada da heroína interpretada por Gal Gadot, mas o que receberam foi um filme “ok” repleto de clichês. “Mulher Maravilha 1984” traz cenas visualmente incríveis e alguns momentos dignos da maior heroína de todos os tempos, mas decepciona quando falamos de roteiro e motivações, desperdiçando o vilão Maxwell Lord (Pedro Pascal) com um desfecho um tanto cafona. A Mulher Leopardo de Kristen Wiig também merecia uma trama melhor, embora tenha entregue alguns momentos satisfatórios. No fim, é um bom filme que poderia ter sido épico.

Avaliação: 6 de 10.

7º LUGAR: AVES DE RAPINA; ARLEQUINA E SUA EMANCIPAÇÃO FANTABULOSA (2020)

“Aves de Rapina” é outro filme que não é tão ruim quanto muitos disseram, mas sofre com um problema em sua própria divulgação. Primeiramente, o longa é praticamente um filme solo da Arlequina com a participação de Cassandra Cain, Canário Negro, Caçadora e Renee Montoya e em momento algum sentimos que o grupo são as Aves de Rapina que conhecemos dos quadrinhos, embora haja uma certa química. Outro ponto negativo do filme é o desenvolvimento e motivação de seu principal antagonista, o Máscara Negra, interpretado por Ewan McGregor. O vilão em nada se parece com sua versão dos quadrinhos, o que é decepcionante, tendo ele um potencial incrível para os cinemas. Apesar disso, “Birds of Prey” agrada no quesito cenas de ação e abre caminho para projetos interessantes, como o possível derivado protagonizado pela Canário Negro de Jurnee Smollett.

Publicidade - OTZAds
Avaliação: 6.5 de 10.
Anúncios

6º LUGAR: BATMAN VS SUPERMAN; A ORIGEM DA JUSTIÇA (2016)

Muitos não vão concordar com o posicionamento desse filme, pois Batman VS Superman é um dos filmes mais divisores do gênero de super-heróis, colecionando tanto fãs quanto haters. Na minha humilde opinião, o filme está longe de ser o fiasco que muitos dizem por aí e coleciona momentos épicos e frases marcantes, “Salve, Martha” que o diga; mas o problema está na pressa do filme em construir a imagem de seus personagens. Por exemplo, o filme apresenta um Batman violento e cansado, repleto de traumas que não conhecemos anteriormente, o que pode gerar um distanciamento com o público; e também temos a adaptação infiel do Apocalypse, que na verdade é a versão “suprema” do General Zod, tal com Lex Luthor, que não é o que esperava-se do mairo antagonista do Superman (embora seja um bom vilão). Mas o maior problema para mim é mesmo a morte do Superman, que considero prematura dentro do DCEU, uma vez que era a segunda aparição dessa versão do herói. Não tivemos tempo para amar o Homem de Aço de Henry Cavill e por isso sua morte não teve impacto diante do público. Mas vale destacar que “A Origem da Justiça” traz alguns momentos épicos, como a primeira aparição da Mulher Maravilha de Gal Gadot.

Avaliação: 7 de 10.

Deixe uma resposta