Publicidade - OTZAds

Ray Fisher, o Ciborgue, se arrepende de ter elogiado Joss Whedon

Nos últimos anos a carreira de Joss Whedon deu uma reviravolta e tanto no meio do cinema baseado em histórias em quadrinhos; o diretor do revolucionário Vingadores (2012), que basicamente deu início ao Universo Cinematográfico da Marvel, ao menos uniu a equipe nas telonas e deu o pontapé inicial para os outros que vieram após, deu um tiro no próprio pé ao assumir a direção de Liga da Justiça (2017) deixada por Zack Snyder, cuja filha se suicidou na época. Joss passou de queridinho a um dos nomes mais criticados e odiados do meio.

Publicidade - OTZAds

Todos sabemos que o filme da equipe mais poderosa e famosa da DC Comics foi um fiasco e rendeu uma onda de críticas dos fãs, além de ter tido um desempenho muito aquém nas bilheterias pelo mundo, o que motivou a famosa campanha pelo Snyder Cut, que finalmente será lançado em 2021 no HBO Max. Nesse cenário, o ator Ray Fisher, que deu vida ao Ciborgue no longa de 2017, resolveu gerar uma polêmica básica em sua conta no Twitter e retirar os elogios que fez a Joss Whedon em uma coletiva de imprensa para o lançamento de “Liga da Justiça”. Na época ele disse:

“Joss é um cara legal e Zack escolheu uma boa pessoa para vir limpar tudo e finalizar para ele.”

Pois bem, Ray Fisher retirou tudo o que disse:

Publicidade - OTZAds

“Gostaria de tirar um momento para retirar com força cada parte desta declaração.”

Em breve veremos Ray Fisher novamente como Ciborgue em Liga da Justiça de Zack Snyder, onde segundo o próprio Snyder, o personagem terá muito mais destaque que na versão lançada nos cinema; o diretor chegou inclusive a dizer que Ciborgue é o coração da sua versão, uma vez que seus poderes estão diretamente ligados às Caixas Maternas de Darkseid, que também fará uma aparição no longa.

Publicidade - OTZAds

Enfim, o que vocês acharam das declarações de Ray Fisher? Concordam ou ele exagerou? Deixem suas opiniões nos comentários.

Deixe uma resposta